Bolo de Amoras Silvestres

Continuando a saga das amoras...fiz um bolo de amoras. Um bolo em camadas de pão de ló e um creme de amoras e natas, com pouquíssimo açúcar. 
Um pequeno segredo...o bolo, ou melhor as camadas de bolo, foi de compra. Há alturas em que temos de cozinhar debaixo da pressão do relógio e não lhe conseguimos escapar. Com compromissos que vêm atrás, e pessoas a chegar pouco mais à frente, por vezes temos que encontrar atalhos e este é um que já usei no passado e, como até gostei, vou continuar a usar. Existem no mercado camadas de bolo já embaladas que servem bem o propósito quando estamos a fazer um bolo em camadas com creme. O sabor que vai sempre predominar é o do creme e as que costumo usar são bastante fofas e não prejudicam em nada o resultado final. Caseiro seria melhor???  Claro, mas a pressa é inimiga da perfeição! E depois o segredo está mesmo no creme!
E para fazer o creme batem-se 2 pacotes de natas em neve bem firme. As natas devem estar sempre bem geladas para se conseguirem bater. Por isso deixei-as no congelador uns 15 minutos e gostei desta nova técnica (coisas que se vão aprendendo com quem também escreve sobre cozinha!). Antes disso, já tinha colocado ao lume cerca de 0.5kg de amoras com 2 colheres de açúcar até fazer um xarope. Quando as amoras já estiverem cozinhadas é só triturar com a varinha mágica. Deixei arrefecer um pouco o doce das amoras e depois juntei às natas. Depois foi só montar o bolo em camadas e barrá-lo por fora. Decorei com algumas amoras inteiras e acho que nunca me senti tão orgulhosa de um bolo feito por mim! 

1 comentário: